NOTÍCIAS

30 de julho de 2014 - Campos - RJ arte e cultura ciência esportes economia o mundo campos

Governo não apoia desaposentadoria, diz ministro

inserido em 12/04/2013 às 13:26:20

BRASÍLIA - O ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, disse nesta sexta-feira, 11,que o governo não está apoiando a proposta que permite ao aposentado elevar o valor da aposentadoria, caso tenha tempo adicional de trabalho e contribuição. VEJA TAMBÉM Governo vai tentar barrar o projeto da ‘desaposentadoria’ "Estamos pedindo um prazo para fazermos uma análise, portanto o governo não está apoiando, é preciso deixar bem claro isso, nós não temos como apoiar essa medida pela repercussão que ela tem nos cofres da Previdência. Então a posição do governo é de não apoiar a evolução dessa votação no Congresso", afirmou o ministro, ao participar de evento em Taguatinga (DF). "Temos de ter responsabilidade num tempo difícil como esse. Tudo aquilo que onera mais os cofres e particularmente a Previdência precisa da nossa parte um cuidado muito grande", prosseguiu. O objetivo do governo Dilma Rousseff é brecar a proposta ainda no Senado e derrubar o projeto que foi aprovado na Comissão de Assuntos Sociais da Casa, para evitar um rombo na Previdência. O ministro da Previdência, Garibaldi Alves Filho, já estimou o impacto da eventual mudança em R$ 70 bilhões para o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Na quinta-feira, um dia após o texto ter sido aprovado na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado, a ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, indicou que o governo poderia mobilizar senadores da base aliada para entrar com recurso para evitar que a matéria fosse remetida diretamente para a Câmara dos Deputados. Líder do PT anuncia recurso. O líder do PT no Senado, Wellington Dias (PI), anunciou que o líder do governo na Casa, Eduardo Braga (PMDB-AM), entrará no início da semana que vem com um recurso para fazer com que o projeto que cria a nova aposentadoria, a chamada desaposentadoria, seja apreciado por mais duas comissões temáticas e pelo plenário do Senado. Se o recurso for aprovado, a tramitação da matéria ficará bem mais demorada e o governo poderá se articular para discutir melhor a proposta. Wellington Dias afirmou que Braga quer que a matéria passe pelas comissões de Constituição e Justiça, para analisar sua constitucionalidade, e de Assuntos Econômicos, para avaliar os impactos financeiros. O petista disse que o interesse do governo não é barrar a proposta e, sim, debatê-la com maior profundidade. "A ideia é discutir. Na verdade há um pedido do ministro da Previdência que ele precisa fazer algumas contas para que evite o desequilíbrio maior ainda na Previdência", ponderou. Assim que for apresentado, o recurso terá de ser votado em plenário.

Rafael Moraes Moura e Ricardo Brito, da AgÃÂ

Veja esta notícia na página original

GERAL

Estrela da ópera é demitida por comen...

ESPORTES

Guarani anuncia empréstimo de goleiro...

ARTE E CULTURA

Produtoras negociam para trazer os Ro...

CIÊNCIA

Físicos separam uma partícula de suas...

Serviço de comunicação multimídia prestado pela empresa IMA TELECOM LTDA, nos termos da Lei nº 9.472, de 16 de julho de 1997,
Lei Geral de Telecomunicações - LGT, pelo TERMO DE AUTORIZAÇÃO, Ato n.º 2.660/2010.

Rua Salvador Corrêa 139 - Centro - Campos dos Goytacazes - RJ Tel.: (22) 2726-2736 - Suporte Técnico (22) 2726-2726 - Administrativo