Censanet

notícias

notícias da região
tecnologia

segunda, 10 de dezembro de 2018

Com criatividade e parcerias, 10ª Bienal do Livro terá 75% de economia

Publicado em: 16/11/2018 11:23

Capa Noticia

Com base no princípio da economicidade, aliada à eficácia e eficiência, marca do governo Rafael Diniz desde seu primeiro dia de administração, a 10ª Bienal do Livro de Campos, a ser realizada entre 20 e 25 de novembro, no Instituto Federal Fluminense (IFF), campus Centro, terá custo final com cerca de 75% de economia em relação à anterior, em 2016. Para isso, estão sendo utilizados ao máximo o corpo técnico da administração municipal e as tradicionais parcerias com a iniciativa privada, um sucesso da atual gestão da prefeitura na realização de eventos.

Segundo a presidente da Fundação Cultural Jornalista Oswaldo Lima (FCJOL), Cristina Lima, quando há disponibilidade financeira, realizar uma bienal sempre implica em investimento alto, envolvendo a contratação de serviços e terceirizações através de uma curadoria  paga para elaborar um pacote completo, desde programação à infraestrutura e logística. O que muda quando há poucos recursos.

— No caso da 10ª Bienal, se nos faltava dinheiro para financiá-la, sobrava vontade, garra, empenho e dedicação para não desistir de realizá-la. Tudo isso, o tempo todo, com o apoio do Prefeito Rafael Diniz e de vários setores e companheiros de governo. Assim, a Curadoria ficou a cargo de equipe formada por assessores, servidores e contratualizados da FCJOL. Posto o desafio, buscamos parceiros para dividir a empreitada, de modo que pudéssemos dar vida ao sonho, de forma digna, propiciando ao público uma temática diversificada, abrangendo vários aspectos da presente realidade e do mundo que nos cerca — afirma Cristina Lima.

Ao fechar os números, foi constatado que a 10ª Bienal terá uma significativa redução de custos em relação à anterior, em 2016, que na época envolveu gastos de R$ 3,5 milhões. A redução será em torno 75%, trazendo uma economia de R$ 1,3 milhão em estrutura para a Prefeitura e outros R$ 650 mil economizados ao não contratar uma curadoria.

Ainda segundo Cristina, "foi economia o tempo todo. Lápis e papel na mão, ideias e criatividade, pesquisa e consultas. Fé, foco e esperança. A cada dia, as notícias nos obrigavam a enxugar o orçamento, até que chegamos a 25%  do que foi gasto na bienal de 2016. E ainda realizamos dois eventos: o lançamento, no SESC, e a Pré-bienal, no Boulevard Shopping", enumera.

A poucos dias de abrir os portões, Cristina destaca que "é com muito orgulho que entregamos ao povo de Campos, a 10ª Bienal do Livro, com o tema Leitura que liberta, na certeza de que muitas pessoas se juntarão a nós, neste voo do conhecimento, da leitura, do desenvolvimento da sensibilidade e do senso crítico, que transforma e amplia a visão do mundo, concedendo asas a quem o ousa".

Parceiros importantes — Com patrocínio da concessionária Águas do Paraíba e Realiza Construtora, realização da Prefeitura de Campos e Sesc, a 10ª Bienal do Livro de Campos conta também com o apoio do Boulevard Shopping e Instituto Federal Fluminense (IFF), que cedeu espaço para a realização da feira literária. Além de ter como patrono Nilo Peçanha, presidente do Brasil em 1909 e 1910, a Bienal homenageará também o poeta fidelense Antônio Roberto Fernandes, Félix Carneiro (Felinho) e Lenilson Chaves, que implantou a Bienal do Livro em Campos, em 2000.

Fonte: Comunicação PMCG